Quem sou eu

Minha foto
Salvador, Bahia, Brazil
Olá blogueiras, me chamo Esthefane, tenho 20 anos, criei este blog para o acompanhamento da minha gestação e o crescimento da minha filhota. irei contando a minha história e fazer novas amizades !Engravidei aos 19 anos, mesmo tendo ovario micropolicisticos. Agora sou a mamãe da Esthela que nasceu no dia 06/04/2013, ás 16:02 de parto cesário.

Seguidores

Total de visualizações de página

Tecnologia do Blogger.

1° dia de vida

1° dia de vida
3,430 kg e 50 cm

1° mês e 15 dias

1° mês e 15 dias
5,500 kg e 50 cm

2° mês

2° mês
não foi pesada

3° mês e 10 dias

3° mês e 10 dias
7,900 kg e 64 cm

4 meses e 3 dias

4 meses e 3 dias
8,300 kg e 66 cm

5 meses e 14 dias

5 meses e 14 dias
Peso 9,100 kg e medindo 71 cm

6 meses e 11 dias

6 meses e 11 dias
9,400 kg e 72 cm

7 meses e 15 dias

7 meses e 15 dias
10,400 kg e 74,5 cm

8 meses e 13 dias

8 meses e 13 dias
10,100 kg e 75 cm

9 meses e 13 dias

9 meses e 13 dias
10,490 kg e 77 cm

Sou a madrinha virtual do Arthur

Sou a madrinha virtual do Arthur

Madrinha virtual da Ana Clara

Madrinha virtual da Ana Clara

Namoradinho virtual (Guilherme)

Namoradinho virtual (Guilherme)

Em que mês estamos?

Subscribe

  • São exatamente :

    Pergunte-me no ASK

    Email

    Escolha sua lingua

    Publicações.

    sábado, 19 de abril de 2014
    Oi meninas, tudo bom ? Comigo esta tudo mais ou menos, esta deitada tentando dormir, mas não consegui, estou com muita coisa presa, para colocar pra fora, mas estou sem pessoas para conversar, todas ocupadas e ja com seus problemas, ja que aqui é um canto que eu falo basicamente de tudo, resolvi levantar e aproveitar que Esthela esta dormindo e vim soltar tudo que ta engasgado aqui.
    Não é nada com vocês, é comigo, com minha vida de mãe, com minha rotina que eu ja estou a ponto de enlouquecer com tanta informação no meu juizo. 
        Eu nao sei se isso que estou passando já aconteceu com voces ou esta acontecendo, mas estou péssima com isso, se for uma fase, aviso pra que passe logo antes que entre uma depressão, todas que me tem como amigo no facebook sabe que quase nao posto nada sobre mim la, é mais sobre o desenvolvimento da Esthela, coisas bestas do dia a dia mesmo. Mas eu ja estou ficando mal em ser apenas mãe, apenas uma mulher para arrumar a casa, colocar roupa na maquina pra lavar, lavar banheiro e arrumar as bagunças da Esthela, ultimamente o que esta me distraindo é a fotografia, talvez seja ela que esta me salvando. Ninguem conta para a gente antes de ser mãe que vamos virar empregada domestica, eu to cansada disso.
     Eu tenho um marido bom, faz minhas vontades quando peço algo a ele sem cara feia, ele faz muita coisa por mim, mas talvez nao seja disso que nós mulheres precisamos, eu estou numa carencia enorme, eu sinto falta de ser elogiada, sinto falta de ser acariciada, sinto falta de carinho, sinto falta de um beijo, sinto falta de um momento meu.
    Há muito tempo eu nao sei o que é isso, as vezes me sinto como apenas mae, ate o meu lado mulher morreu, nao tenho vontade nem tempo de me arrumar como antes, as vezes paro e penso que vivendo desse jeito, seria melhor eu viver em um canto so meu e da Esthela, pelo menos assim nao vai haver cobranças de alguem que nao esta suprindo meus desejos, não é desejo sexual, é desejo como mulher.
       Meu namoro foi um momento de mudar o meu parceiro, ele era do mundao de festas e mulheres, varria geral mesmo, ate que a gente se conheceu e eu fui mudando ele aos poucos. Fomos morar junto depois de quase 2 anos de namoro, por causa de uns fatos que aconteceram com a minha familia, como eu tava trabalhando, estudando e tal, eu preferir ficar e tentar.
    Nesse tal morando junto tive mais momentos bons do que ruins, ele ja estava consertado e tudo. Mas com o nascimento da Esthela, parece que ele voltou pior, ou nao sei o que esta acontecendo, a vida dele, quer dizer, o tempo dele vago é para os colegas, celular, trabalho e Esthela. E eu ? sirvo so para ...( se é que me entendem).
    Serio, eu nao queria pensar dessa forma, mas estou sendo obrigada a pensar. As vezes julgamos as pessoas que procuram um melhor relacionamento pra si, mas essas pessoas acho que se acertam mais. Mulher é tao delicada, tao sentimental, porque isso Deus? Não poderíamos ser banda voor como eles sao. Talvez as coisas da vida nao fosse tao complicada, porque somos frágeis, porque nos doamos demais ao outro...
    Eu nao consigo dizer mais eu te amo, eu nao consigo mais gostar, aquele sentimento parece que esta morto dentro de mim. Não estamos brigados, estao bem graças a Deus, mas como amigos. No meu haver. 
       Será que todo mundo que espera um filho ou tem um filho passa por isso ? ou é so eu ? Eu ja sabia que com uma chegada de um filho as coisas mudam, mas eu nao sabia que mudaria tanto. Cansada de nao poder desabafar com ele para nao gerar uma briga, porque ele é um cara meio dificil de entender as coisas, nao sabe interpretar as coisas e sempre acaba em brigas e resulta em uma pirraça das grandes, onde eu fico estressada comigo, com a casa e com a Esthela principalmente.
    Ultimamente ele so anda com pessoas que nao tem familia, nao tem responsabilidade, que gosta de farra, curtiçao, dinheiro e mulher, nao sei se ele ta sofrendo um certo tipo de solidão e decidiu ir atras de pessoas desse tipo. Eu nao quero ta julgando ele, porque eu também tenho meus defeitos e que nao sao poucos nao. Eu sou uma pessoa complicada porque nao sei expressar sentimento, eu tenho uma dificuldade, eu tenho uma trava a 7 chaves com isso. Talvez tenha sido pelos fatos ocorrido na minha infancia, ainda venho contar sobre isso a voces que me seguem, eu nao sei eu tenho um certo bloqueio, eu nao cresci em um lar amigavel, em um lar de atençao, em um lar de amor, carinho. Eu cresci em um lar de terrorismo mesmo todo final de semana. Queria muito um acompanhamento de um psicologo para ver se me ajudava com isso, porque eu sei muito bem como eu sou! Talvez tenha sido isso que chegou ao extremo ou nao também. Criando coragem para uma conversa franca e que me traga resultados positivos.
    Beijao meninas, vim desabafar, relaxar um pouco, parece que tirei um peso das costas depois que digitei isso assim, estava muito tensa. Espero que apareçam almas que me tragam palavras positivas e nao apareçam os recalques em anonimo para vim me dizer indiretas, eu nao peço, eu imploro, porque esse é um dos momentos mais complicado para mim e peço que nao venham brincar com isso, de verdade!

    7 comentários:

    Ludmyla Bento disse...

    Amiga me identifiquei lendo seu post,as coisas aqui vão de mal a pior, me add no face pra conversarmos melhor!!
    Fique calma""
    Beijos

    Esthefane disse...

    Pois é amiga, é muito complicado isso. Estou me sentindo pessima com tudo isso, eu nao sabia que construir uma familia renderia tantos problemas. Mas Deus esta no comando. Beijos e pode ficar tranquila. .. te aceitei la no face.

    Paloma disse...

    É a primeira vez que passo por aqui não sou mãe mas a maternidade realmente muda a vida ,e isso muitas vezes gera conflito mas peça a Deus sabedoria e Ele te dará para que vc supere tudo isso Força.Foco é Fé. Bjoss e fica bem

    Flávia Lorena disse...

    ÔÔ Esthefane, Não sou casada, porém namoro a muito tempo (exatamente 6 anos) já é quase um noivado sei lá, mas convivemos muito tempo juntos e com essa convivência descobrir que devemos ter um pouco de empatia ( se por no lugar do outro), temos que dar o espaço que o outro precisa sabe, tempo para pessoa respirar, isso é uma regrinha básica de convivência... talvez seja isso que ele esteja precisando, um tempo pra ele... mas infelizmente esse tal tempo que os homens precisam acabam com nós mulheres, que somos tão frágeis, ´mas também somos mais forte do que parecemos ser, então a única coisa que tenho a lhe dizer é " Entregue tudo nas mão de Deus, pois ele só nos dá o que podemos SUPORTAR" Beijão em você e na Princesa :)

    Anônimo disse...

    Entendo vc, mas vezes me sinto assim! Tenho 20 anos e uma bebe de 8 meses (Ana Cecilia), e ela me deixa loucaaaa!

    Anônimo disse...

    Entendo o que vc passa, realmente não é fácil, principalmente qdo a outra pessoa não quer ouvir, não quer entender, e com isso "bloqueia" o crescimento do casal. Bom, o que fazer então? A resposta é: invista no SEU crescimento, no SEU bem estar! Saia mais de casa, volte a se amar, passe a se arrumar mesmo que seja pra ficar em casa! E procure uma forma de trabalhar, arranje uma creche ou alguém que olhe sua filha e vá a luta! Mesmo que não seja grande coisa, ou talvez volte apenas a estudar, isso lhe ajudará muuuito, vc conhecera pessoas diferentes, fará novas amizades, ampliará seus horizontes e consequentemente despertará o interesse no seu marido de correr atrás pra poder acompanhar a nos mulher que vc irá se transformar! Bjos, boa sorte

    Anônimo disse...

    *"Acompanhar a nova mulher*